Half Nelson

Half Nelson, Encorralados, não me cativava muito até ao momento em que Ryan Gosling foi nomeada para melhor actor pela sua interpretação neste filme. Decidi então ver e ainda bem… Half Nelson tem aquele “click”.

Realizado e parcialmente escrito por Ryan Fleck, Encorralados é um filme de baixo orçamento, de contornos independentes, simples na exposição mas muito complexo e forte na argumentação e nos assuntos que trata com  sublime inteligência.  Para além de temas como o racismo e a exclussão social, este filme leva-nos por uma viagem pelo mundo das drogas e das situações criadas pelo vicio… a mestria com que lida com ambos os lado do jogo, o traficante e o consumidor, é louvável e repleto de pormenores deliciosos e alicianetes que fazem de Half Nelson um grande filme, um dos melhores do ano passado (embora só tenho estreado em Portugal este ano), de carácter negro e intervensionista.

halfnelson.jpg

A história gira à volta da vida de Dan Dunne (Gosling), um professor primário num bairro problemático. Dunne é um viciado em drogas que separa essa sua vida da sua profissão e do seu caracter de intervenção cívica e social que pretende passar para os seus alunos. Depois de ser apanhado na casa de banho das raparigas, a fumar crack, por Drey (Shareeka Epps, uma promessa…),cria com ela uma ligação muito intima de cumplicidade e amizade que os leva a uma melhor percepção na realidade em que vivem.

Embora a ligação de ambos seja muito forte, é desafiada por Frank (Anthony Makie) um traficante de droga e um “amigo” de longa data da família de Drey. Depois disso a luta travada entre Frank e Dunne torna-se bastante interessante pois Dunne, o drogado, não quer que Drey se dê com um traficante, e o Frank não quer que a menina se dê com um drogado… bastante interessante e desafiador das nossas mentes.

A prestação de Gosling é realmente digna de nota e justica totalmente a nomeação para o Óscar. Pena não ter ganho, mas pelo menos já ganhou mais um fã por estes lados. Espero por trabalhos futuros deste rapaz…

Com um carácter intervensionista a nível social e pessoal, Half Nelson resulta num excelente filme onde essa componente nos é transmitida de uma maneira muito peculiar e é apreendida facil e adequadamente.

Resta-me dizer-vos para irem ao cinema ver! Vale a pena.

Nota:

8 thoughts on “Half Nelson

  1. Eu não tou a perceber o que é que tu realmente queres…
    Eu apaguei os comentários todos de uma vez. E desde que eliminei os primeiros não voltei a apagar…

    Cobarde? Eu não peço que venhas aqui ao blog dizer-me que tenho erros ortográficos e não é sobre democracia ou não que falamos aqui. Se eu escrevo mal, com erros e afins, eu sei que o faço a agradeço a quem me alerta para tal facto, até porque já houve outras mensagens a dizer isso e não foram apagadas. Mas eu dispenso manientos aqui por este blog… sim… porque brincadeiras de criança não são propriamente aquilo que eu mais aprecio… mas valeu os esforço…

    Agora… sai desse teu mundo e volta à realidade. Isto é uma mensagem sobre Half Nelson! Se não tens nada a dizer sobre isso… cumprimentos e volta quando quiseres.

  2. Anonymous diz:

    e pa… poupem-se dessas merdas.

  3. N Gonçalves diz:

    Sr. Rui Lopes. Há de haver! “Ainda há pouco vi aqui um comentário a alertar-te para alguns erros ortográficos… ”
    Está bom está!

Queres falar agora?

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s