Rocky Balboa

Quando a notícia de um novo Rocky foi divulgada, era já sabido que iria ser um êxito, fosse ou não um bom filme. Desde há 30 anos que a saga Rocky é uma espécie de “épico” de Sylvester Stallone, que eternizou a personagem Rocky Balboa. Este novo filme, e último, de seu nome Rocky Balboa, pretende dar sentimento e um tom mais pessoal à personagem.

Embora se note a tentativa de sentimentalizar a personagem e de dar a Rocky uma última oportunidade de brilhar, o filme não me convence e fica muito aquém do que tinha ouvido dizer.

rocky.jpg

Rocky (Sylvester Stallone) é agora um homem só. Depois da morte da mulher e sendo desprezado pelo filho Robert (Milo Ventimiglia, o Peter de Heroes), Rocky tem agora um restaurante onde conta, todas as noites e por várias vezes, as histórias da sua magnífica carreira. Quando o campeão mundial de pesos pesados, Mason Dixon (Antonio Tarver), fica sem adversários e todos os criticam pela falta de alma e coração nos combates, os seus empresários idealizam um combate com Rocky, de modo a conseguirem mais protagonismo para Mason quando, no combate, ele demonstrar piedade por Rocky.

Demasiado sentimentalista e não sendo de grande imaginação, Rocky Balboa perde-se num emaranhado de diálogos muito pouco elaborados, à excepção do diálogo com o seu filho sobre a vida, e sendo vago e sem razão maior para o seu retorno, o filme é, realmente, decepcionante. Embora o regresso de Rocky se prenda com a sua vontade em fazer aquilo que realmente gosta e a sua luta pelo não esquecimento, todo o enredo me parece muito frágil e todos aqueles flashbacks parecem forçados.

Não obstante, o final desta enorme saga é bom. Não sendo um filme bom junto dos seus antecessores, principalmente os dois primeiros, mas melhor do que o último, termina a história com a consagração da personagem, tão querida entre nós. Se não estivesse familiarizado com a saga Rocky, este filme não me diria rigorosamente nada. Apesar de eu não ter gostado, percebo perfeitamente as críticas positivas que lhe foram dadas. É um filme que apela a diferentes opiniões. Ahh e a pontuação só esta este devido a ser o final da saga e ter terminado bem, no conjunto. Poderia ser muito menos…

Vamos lá ver o que é que Stallone faz com Rambo. Pode ser que me cative mais.

Nota:

7 thoughts on “Rocky Balboa

  1. ELENIR diz:

    Ola, Sobre o ultimo filme deRocky Balboa,quem gosta dele e acompanhou toda saga dos seus filmes, acaba gostando deste tb, apesar de ser bem diferente dos outros. E assim como vc , penso que num emaranhado de diálogos muito pouco elaborados, o diálogo com o seu filho sobre a vida,é a feliz excessao . Onde consigo esta fala ? Vc poderia me ajudar ?
    abraco
    Elenir

  2. A um puto filmaço que tenho com o maior orgulho na minha estante de DVD’s tenho um gosto enorme em sempre ver esse filme em especial a parte do diálogo do Rocky com o filho, e um dialogo que todos deveria ouvir dos pais, deveria vir junto no manual de como ser Pai.

    []’s

Queres falar agora?

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s