Stranger Than Fiction

Depois de ficar rendido com Little Miss Sunshine, os filmes de baixo orçamento têm-me despertado uma grande atenção. Aquando da sua estreia em Portugal, este Stranger Than Fiction despertou-me esse interesse mas infelizmente não me foi possível vê-lo no cinema. Agora, na versão DVD directamente importada do universo bittorrent, pude finalmente presenciar toda a genialidade e mestria do filme de Marc Forster.

Escrito por Zach Helm, até agora um desconhecido para mim, Stranger Than Fiction apresenta-se como um filme simples na sua construção mas, como em Little Miss Sunshine, brindado com um argumento sublime, dinâmico, muito bem escrito e interpretado magistralmente.

stranger.jpg

Contado Ninguém Acredita é um filme sobre Harold Crick (Will Ferrel) e o seu relógio de pulso. Harold é um auditor do IRS; a sua vida, rotineira e enfadonha, está prestes a sofrer uma reviravolta inesperada pois Harold tem tudo programado e delineado. Um dia, enquanto escova os dentes, ouve uma voz que narra todos os seus movimentos e pensamentos, mas de uma forma elaborada e muito literária. Assusta-se a pensa estar a ficar maluco até que… a voz lhe diz – “Mal sabia ele” – que irá morrer brevemente. A chata vida de Harold muda completamente, tentando encontrar motivos para continuar a viver e descobrir que é que está por detrás daquela “sinistra”, mas ao mesmo tempo magnífica, voz. Para o ajudar, procura um professor de literatura, Jules Hilbert (Dustin Hoffman, como sempre brilhante) para juntos identificarem que poderá estar a escrever a sua vida. Pelo meio, Harold encontra aquele que será o primeiro amor da sua vida, Ana Pascal (Maggie Gyllenhaal).

Stranger Than Fiction é excelente. Ponto. Com diálogos e situações de uma perfeição admirável, conta ainda com prestações notáveis do muito versátil Will Ferrel, da grandiosa Emma Thompson, no papel de uma escritora vigorosa e tresloucada, do sempre brilhante Dustin Hoffman e ainda da jovem Maggie Gyllenhaal que prova ter muito jeito para a coisa. Já era tempo de lhe darem um papel mais importante!

Marc Forster, que já me tinha espantado com Finding Neverland, volta assim a surpreender-me com esta pequena grandiosa maravilha que é Contado Ninguém Acredita. O único defeito que lhe aponto é tão-somente algum exagero de efeitos especiais nas visões matemáticas de Harold. Não ficam mal, mas são demasiadas.

O sorriso nos lábios com que fiquei depois de ver este filme é quase comparável ao que me assolou depois de Little Miss Sunshine. O humor perfeito na altura perfeita, as emoções à flor da pele apenas quando realmente são precisas, o estereótipo das personagens, as situações inesperadas, diálogos muito bem construídos, organizados e bem interpretados… enfim… não falta quase nada a Stranger Than Fiction!

Vejam a apaixonem-se! Se o vosso estilo for apenas “pum pum lasers e afins”, então é melhor deixarem-no ficar de lado. Se querem algo refrescante, é quase obrigatório!

Nota:

One thought on “Stranger Than Fiction

  1. Jessica diz:

    Stranger than fiction é simplesmente brilhante! *.*
    É daqueles filmes que quando acabamos de ver ficamos pensando…
    Amei esse filme! =)

Queres falar agora?

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s