The Number 23

Todos nós estamos habituados a ver Jim Carrey em filmes de comédia mas também já provamos o seu valor em Eternal Sunshine of the Spotless Mind. Desta vez, Jim Carrey muda de ares e traz-nos um thriller onde, mais uma vez, prova a sua versatilidade mas o filme não lhe segue os passos e acab por se perder num emaranhado de reviravoltas mais do que previsíveis e não nos consegue prender devido às mudanças constantes da história.

Embora com uma premissa interessante, The Number 23 é interessante apenas até certo ponto; a partir de meio do filme perde o encanto e rende-se aos chavões a que já estamos habituados. É uma história de obsessão bem construída e imaginada, embora o resultado cinematográfico final não seja nada muito empolgante.

gg-the-number-23.jpg

A história dá-nos a conhecer Walter Sparrow (Jim Carrey), um trabalhador do controlo animal que, de um momento para o outro, se vê obcecado por um livro que lhe foi oferecido pela mulher, Agatha (Virgina Madsen). O livro, The Number 23, parecia uma cópia disfarçada de toda a vida de Walter: as suas vivências, experiências, decepções e alegrias. À medida que avançava no livro mais se convencia que este era sobre si. Posto isto, enveredou numa jornada para descobrir quem escreveu o livro, enquanto encontrava mais similaridades entre si e a personagem do livro.

Como já disse acima, o pressuposto de The Number 23 era interessante. A obsessão de um homem não com algo alheio a si, mas com a sua própria vida. No entanto, a maneira como Joel Schumacher (que realmente não tenho em grande estima…) trata a história, alternando demasiado entre o conto e a vida real, tornando o seguimento da narrativa algo confuso e bastante irritante, chegando até a ser enfadonho. A reviravolta, que não surpreende, tira ainda mais pontos a uma história que poderia ter tido muito mais para dar.

Jim Carrey está quase impecável. Dinâmico, recheando a sua prestação com momentos verdadeiramente atractivos e conseguindo, apenas ele, persuadir-nos a tentar encontrar fundamento para um filme que se vai afundando.

Fica o registo de um filme que não é, nem de perto nem de longe, aquilo que se esperaria. Desilude mas também de Schumacher não se esperaria muita coisa…

Nota:

5 thoughts on “The Number 23

  1. Tu é k és mau para as pessoas.. Coitado do realizador, deve ter as orelhas vermelhas. N percebes que os shumacher têm mais jeito para os carros…

  2. djamb diz:

    De facto, o Number 23 poderia ter sido um grande filme, não fosse o fraco argumento e a ausência de ideias para fugir àquilo que é habitualmente visto em blockbusters protagozinados por adoloscentes.🙂

  3. Jaime Ferreira diz:

    Concordo convosco. Um filme muito promissor no início mas com final muito fraquinho.

    É pena pois dava para fazer algo bem interessante com aquele tema.

    O Jim esteve em grande como sempre.

  4. Hugo Gomes diz:

    Achei um filme interessante no incio com toda aquela vertente em volat do nuemro 23, mas verdade seja dita o final, estraga qualquer expectativa de qualquer um. Falhado.

  5. Rui Queirós diz:

    Tudo bem que schumacher ja desiludiu bastante anteriormente, mas tambem não lhe podemos colar uma etiqueta….

    Eu não acho que o final tenha sido tão mau assim, nem sequer mau.

    Não acho que possamos condenar o filme pelo final.

    achei o filme bastante bom, tanto na realização, no argumento e na direcção de actores…

Queres falar agora?

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s