Vacancy – Um motel como tantos outros

Quando estavas prestes a ver Vacancy, pensei em repensar (bonito, ahm?) as minhas expectativas pois, aquando do visionamento do trailer, tinha a sensação de que este filme seria surpreendentemente bom; de facto consegui baixar a expectativas, não no início, mas enquanto o filme ia avançando.

Mais uma vez, as minhas expectativas revelaram-se erradas e fiquei frustrado: para além da notória influência do estilo Hitchcock’iano’, não conseguindo chegar a realmente ser inovador e original, mas também porque o próprio trato com que o filme é feito vai-nos desiludindo, tal é a quantidade de clichés que teima em manter cena após cena. Mas talvez até seja mesmo essa a intenção… mas já lá vamos…

vacancy-2007.jpg

Como qualquer bom (?) filme de terror/suspense, Vacancy começa com um casal, David e Amy Fox (Luke Wilson e Kate Beckinsale) que fica perdido no meio do nada, depois do seu carro ter subitamente avariado; trocando por miúdos, deu o berro sem mais nem menos. E como não poderia deixar de ser, vão ter ao único motel disponível nas redondezas que, POR ACASO, é gerido por um maníaco, Mason (Frank Whaley) que se diverte aprisionando os seus hóspedes num quarto e fazendo com que se sintam desesperados para depois os matarem; tudo isto, gravado em vídeo! Quando David e Amy se apercebem do que estão a ser vítimas, começam a lutar pela sua sobrevivência, começando assim um jogo doentio de gato e rato.

Mas como eu ia a dizer… Vacancy, mesmo com todos estes clichés, parece vangloriar-se por isso! Tudo aquilo que esperamos que aconteça, acontece… mas acontece mesmo. Não estão ali para enganar ninguém e muito menos para surpreender; por outro lado, parecem ter-se dedicado de corpo e alma a tentarem absorver-nos para o mundo claustrofóbico do filme. E conseguem! O problema é que já estamos tão aborrecidos com tudo o resto (leia-se “os clichés) que já nada nos consegue animar. Mas tem o mérito de tentar e de o fazer com classe: intenso, fugaz e muito bem interpretado por Wilson e Beckinsale.

Mas só mesmo aí se salva Vacancy. Nimród Antal, o realizador, revela que tem talento no trato das personagens e nas suas escolhas de realização para as cenas mais stressantes e ofegantes do filme, mas não consegue tirar partido de um argumento que parece copy/paste de tantos outros…

Nota:

Extra

  • Segundo o IMDB, o papel de Amy Fox, foi primeiramente entregue a Sarah Jessica Parker, conhecida por O Sexo e a Cidade;
  • Vejam o trailer de Vacancy aqui;

2 thoughts on “Vacancy – Um motel como tantos outros

  1. alcoreien diz:

    Não fui com espectativas nenhuma. Já esperava um filme previsivel e cheio de clichés. É um bom filme pra quando não se tem mais nada pra ver. Boa critica.

  2. […] de Setembro tive a oportunidade de ver apenas 2 filmes que estrearam nos nossos cinemas. Foram eles Vacancy e Next. No próximo mês, Outubro, espero ver 1408, The Lookout, Knocked Up e Michael […]

Queres falar agora?

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s