Apocalypto

Mel Gibson é polémico mas notável. Grandes filmes por ele interpretados estão naquele patamar especial a que recorremos quando queremos falar dos “melhores de sempre“. Entre eles o fabuloso Braveheart, onde era actor, produtor e realizador. Neste seu Apocalypto, Gibson retira-se do papel principal (e mesmo do elenco) como já tinha feito com A Paixão de Cristo e volta a usar a lingua nativa da época.

Apocalypto

Apocalypto não é um épico. É bom filme, carregado de mensagens actuais usando a história para corroborar a ideia, sendo que o tema do filme está longe de ser aquilo que eu esperava: o declinio da civilização Maia. É focado e descrito por imagens a acções, que muitas vezes nos deixam desconfortáveis, mas pouco ou nada retrata do principio do fim do império Maia. Foca-se, isso sim, na luta de um jovem fujindo do destino que lhe marcaram: o sacrifico em honra dos deuses. Filmado com uma adrenalina contagiante, Apocalypto não se consegue deixar de ver; apela à nossa atenção com tanta acção de debita no ecrã.

Muito se poderia dizer dessa mesma história e do seu significado… no nosso terreno, quem manda somos nós. Simplificando é mesmo isso. A posse territorial, o fanatismo religioso, a limpeza étnica, os abusos de prisioneiros e por aí fora… Um conto dos nossos dias, retratado muito antes de nós por cá estarmos.

A interpretação dos actores é bastante boa, bastante promissora. Com quase nenhum actor conhecido, o filme vive com a brilhante prestação de Rudy Youngblood (Jaguar Paw) e de muitos outros que o acompanham.

É uma história fria e dura, assustadoramente realista, que ficará na mente de muitos como um filme histórico, mas na de outros como uma metáfora ou uma profecia de um ciclo que se voltará a repetir.

Nota:

10 thoughts on “Apocalypto

  1. Psssssttttt.ó pessoal,tenho um segredinho,só hoje é que consegui ver o Apocalypto.
    Pronto,okey,já sei que é uma falha grave…
    Se gostei?muito bom,embora estivesse á espera de uma história a descrever-nos o desaparecimento das civilizações Maia(acho eu)
    De qualquer das formas,dou uma nota bem alta,já que se trata de um belo filme.

  2. Pois Luis eu também estava à espera dessa história… mas pronto… mesmo assim foi de facto um bom filme!

    Obrigado pelo comentário! Volta sempre!

  3. DOU NOTA MIL PRA APOCALYPTO.APESAR DE SER UM FILME FORTE QUE MACHUCA POR DENTRO DEVIDO Á BRUTALIDADE,É MUITO BOM PARA REFLEXÃO!!!
    É UM FILME QUE UNE-SE AO DRAMA,Á COMÉDIA,AO TERROR,Á AÇÃO,ENFIM…
    RECOMENDO Á TODOS QUE TIVEREM PEITO DE AÇO,PORQUE A BRUTALIDADE É MUITO GRANDE NESTE FILME.MAS É MARAVILHOSOOOOOOOOO!!!!!!!
    ABRAÇOS!

  4. Elisabeth Amaddio diz:

    HISTORICAMNETE ERRADO !!!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk , Mel Gibson deve ter confundido as civilizações porque quando os espanhois chegaram os MAIAS ja tinha desaparecido !!! eram os ASTECAS !!!
    Durante o governo do imperador Montezuma II (início do século XVI), o império asteca chegou a ser formado por aproximadamente 500 cidades, que pagavam altos impostos para o imperador. O império começou a ser destruído em 1519 com as invasões espanholas. Os espanhóis dominaram os astecas e tomaram grande parte dos objetos de ouro desta civilização. Não satisfeitos, ainda escravizaram os astecas, forçando-os a trabalharem nas minas de ouro e prata da região.

  5. Elisabeth muito obrigado pela informação! Não fazia a minima ideia!
    Volta sempre, cumprimentos!

Queres falar agora?

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s